SANTOS E BEM-AVENTURADOS

Nas fileiras do PIME há um santo, Alberico Crescitelli, que foi martirizado na China durante a revolta dos Boxers. Nascido em Altavilla Irpina (Avellino) em 1863, aos 17 anos ingressou no então Pontifício Seminário São Pedro e São Paulo para as Missões Estrangeiras. Em 1887, pouco antes de partir para seu destino, o sul de Shaanxi, ficou retido em seu país natal devido a uma epidemia de cólera, na qual se esbanjou com grande generosidade. Chegou à China com uma jornada aventureira, dedicou-se aos cristãos do rio Han e foi para outros lugares, causando muitas conversões. Em 1900 foi vítima da revolta contra os ocidentais, incluindo missionários. Por dirigir uma creche para crianças pobres, Pe. Alberico foi injustamente acusado de ser um arquiteto da privação alimentar que a população sofria. O descontentamento centrado, injustamente, nele. Trancado na alfândega de Yentsepien, ele foi torturado, morto, cortado em pedaços e jogado no rio. Foi canonizado em 2000 por João Paulo II.


São cinco os bem-aventurados do PIME: Giovanni Mazzucconi (1826-1855), mártir na Oceania, beatificado em 1984; Paolo Manna (1872-1952), fundador da Pontifícia União Missionária do Clero e dos Religiosos, proclamada em 2000; Clemente Vismara (1897-1988), missionário na Birmânia (atual Mianmar), beatificado em 2011; Mario Vergara (1910-1950), também martirizado na Birmânia e beatificado em 2014, juntamente com um catequista local, Isidoro Ngei Ko Lat, morto com ele; Alfredo Cremonesi (1902-1953), mártir na Birmânia, beatificado em 2019.


As causas de beatificação do fundador, Dom Ângelo Ramazzotti (1800-1861), de Irmão Felice Tantardini (1898-1991), missionário, também são leigo, ativo há muitos anos na Birmânia, de Pe. Carlo Salerio (1827-1870), missionário na Oceania e fundador das Irmãs da Reparação e de Pe. Silvio Pasquali (1864-1924), missionário na Índia e fundador das Irmãs Catequistas de Sant'Anna.

santibeati.jpg