Caminhada missionária reuniu fiés e religiosos em Manaus

(republicamos a notícia da iníciativa missionária na Arquidiocese de Manaus.)

Cerca de aproximadamente 6 mil pessoas de todas as idades, entre leigos, religiosos e consagrados, participaram na tarde deste domingo, (20/10), da Caminhada Missionária que esse ano teve como tema “Batizados e enviados: a igreja de Cristo em missão no Mundo” e fez parte da programação de atividades realizadas no Mês Missionário Extraordinário. O local escolhido para a concentração foi no Largo Mestre Chico (atrás da Cadeia Pública), onde por volta das 16h os participantes reunidos em grupos, movimentos ou pastorais, saíram em caminhada, agitando suas bandeiras e cartazes, até Santuário São José Operário, onde foi celebrada uma missa campal presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Sergio Castriani, concelebrada por Monsenhor Sabino Andrade.

A Caminhada foi coordenada pelo Conselho Missionário Diocesano (COMIDI) e, um pouco antes de saírem em peregrinação, houve a encenação da Pastoral do Batismo e, em seguida, Pastoral da Catequese também deixou seu recado. Por volta das 16h30, debaixo de um leve chuvisco, os fiéis começaram a caminhar sob a animação do Pe. Charles Cunha e Patrícia Cabral, Presidenta do Conselho do Laicato da Arquidiocese. O trajeto da caminhada incluiu a passagem pela ponte de ferro, na avenida sete de setembro; Avenida Castelo Branco; Ruas Ramos Ferreira, Duque de Caxias, e Visconde de Porto Alegre. No meio da multidão estavam presentes os movimentos, pastorais, Infância e Adolescência Missionária (IAM), Juventude Missionária, Pastoral da Criança, Conselho Missionário Paroquial (Comipas), enfim, pessoas de todos os setores da arquidiocese de Manaus que chegaram em caravanas ou pé, como no caso dos moradores dos bairros próximos.

Dom Sergio também esteve presente e caminhou um pouco junto às crianças, jovens, adultos, leigos e religiosos. Um verdadeiro missionário que há mais de 40 anos evangeliza na Amazônia, seja como padre, bispo ou arcebispo e, sua presença em meio ao seu rebanho, conduzindo o povo fez toda a diferença. Todos foram unidos num só coração, orando, cantando, louvando, dançando e, principalmente, divulgando com suas faixas, cartazes e bandeiras, a importância da vocação missionária que cada um de nós temos como batizados e enviados. Como por exemplo o Pe. Braz Lourenço, missionário do Pontifício Instituto das Missões Exteriores (PIME) e vigário paroquial da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, que subiu no carro de som para dar um pouco do seu testemunho dos anos que viveu como missionário no continente africano, os desafios que teve a começar pelo idioma, com a alimentação (prato principal e quase único em todas as refeições era o arroz) e principalmente com as inúmeras “religiões” existentes que reduzem o número de católicos a uma porcentagem bem baixa, mas que mesmo assim ele fez a sua parte, evangelizou atuando não só de forma religiosa, mas social também.

Ao chegar no Santuário de São José, todos trataram logo de se acomodar como puderam para participar da missa campal. Para isso os missionários se espalharam por todos os cantos da área externa, sentando no chão, nas escadas ou em algumas cadeiras que foram providenciadas para a celebração. Além de Dom Sergio e Monsenhor Sabino, a celebração também contou com a presença de vários padres, entre eles o Pe. José Ivanildo, pároco e reitor do Santuário São José e Pe. Evanir Rosa, pároco da Paróquia Santo Antônio e Assessor Arquidiocesano do COMIDI, auxiliando na celebração estavam os diáconos Rozinaldo Trovão e Afonso Brito. Em sua homilia, lida pelo Pe. Ivanildo, Dom Sérgio ressaltou mais uma vez a importância do Dia das Missões, da Vocação Missionária salientando que só seremos verdadeiros missionários quando as pessoas estiverem em nossos corações e em nossas orações, pois a ação missionária que não precedida pela oração, não tem espírito.

“Este ano meus irmãos, o mês de outubro foi declarado o Mês Missionário Extraordinário, por causa do centenário de uma Encíclica Missionária que o Papa Bento XV escreveu em 1919. Na Arquidiocese tivemos diversas atividades em que se estudaram temas missionários, mas também houve atividades missionárias e, hoje a tarde realizamos a Caminhada Missionária para dar testemunho do nosso amor a Jesus e também do nosso amor à Igreja, vivendo no clima do Sínodo para a Amazônia. Assumamos a nossa responsabilidade recebida no Batismo e confirmada na Crisma, queremos que o mundo saiba disso para que o reinado de Deus se estabeleça e por isso hoje estamos unidos para celebrar a Eucaristia, que é o ponto de partida e o ponto de chegada de toda ação missionária. Hoje, no Dia das Missões, devemos rever nossa oração, por quem nós rezamos e quais são nossas intenções? Estamos preocupados só com o nosso bem estar ou na nossa oração também cabe os outros, principalmente os sofrem ou aqueles que nem rezam. Temos que viver de tal modo que o mundo creia que Jesus é o Salvador”, disse Dom Sergio em um trecho de sua homilia.

Ao final da celebração, Pe. Evanir disse algumas palavras de agradecimentos em nome do COMIDI. “Somos os missionários do Senhor e aqui viemos dizer ‘podes contar conosco Senhor, pois queremos ser uma igreja em saída e decididamente missionária’. Que o Sínodo que está sendo realizado em Roma, venha trazer luzes para aderir ao projeto de Jesus na defesa da vida do povo amazonense e da Casa Comum, pois ser missionário é ter paixão por Cristo, pela sua Igreja e pelo seu povo. Agradecemos pela participação de todos os que se envolveram na organização deste evento, principalmente a presença do nosso querido Arcebispo Dom Sergio e pelos vigários episcopais Dom José, Dom Tadeu e Monsenhor Sabino que sempre nos dão apoio e incentivo missionário. Somos gratos pela participação dos comunitários e agentes missionários de nossas paróquias, assim como nosso reconhecimento e gratidão aos nossos padres, diáconos, religiosos(as), seminaristas, postulantes e vocacionados que, com a sua presença no campo evangelizador, suscitam ações missionárias e também novas vocações. Agradeço de forma especial a todos os leigos do COMIDI, COMISE e dos Comipas da Infância e Juventude Missionária por articular e realizar todas as atividades desse Mês Extraordinário Missionário”, comentou.

Após os agradecimentos do Pe. Evanir, Monsenhor Sabino leu a oração de envio a todos os catequistas, agentes da pastoral do batismo, os missionários do Santuário São José, que vivenciaram as Santas Missões Populares e que darão continuidade na missão eclesial junto ao Santuário. “Todos nós seremos abençoados e enviados, pois todos nós temos nossas missões que assumimos em nossas comunidades”, explicou Pe. Evanir e, depois da leitura de Monsenhor Sabino, Dom Sergio deu a benção final encerrando a celebração. Para finalizar, os agentes do Santuário, levantaram cartazes com letras  agradecendo ao Arcebispo dizendo: OBRIGADO DOM SERGIO.

(fotos da Assessoria da comunicação Arquidiocese de Manaus)

Adicionar comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos requeridos são marcados com *