Revista "MUNDO e MISSÃO"

Fome

FAO: a cada minuto, 12 crianças
morrem de fome no mundo

da redação

O “Estado da Insegurança Alimentar no Mundo 2004”, relatório da FAO (Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação), divulgado no dia 8 de dezembro, concluiu que morrem de fome, anualmente, pelo menos 5 milhões de crianças no mundo, o que dá uma média de um óbito a cada 5 segundos. Ou seja, desde que você começou a ler este parágrafo já morreram duas crianças de fome, pelo menos. Mais de vinte milhões de crianças nascem com o peso abaixo dos padrões mínimos, correndo maior risco de morte durante a infância.

As que sobrevivem, revelam incapacidade física e mental permanentes. Segundo o relatório, depois de ligeira queda na década de noventa, a fome ganhou novo impulso no início deste século. Os dados, relativos aos anos 2000-2002, demonstram que mais de 850 milhões de pessoas passam fome, 18 milhões a mais do que em 1992. “Além do sofrimento humano, que é um escândalo, a fome tem como conseqüência, também, importantes perdas econômicas”, salientou Hartwig de Haen, subdiretor da FAO, reforçando que é “incompreensível” a escassez de esforços da comunidade internacional.

A FAO esclarece que a perda da produtividade equivale a 500 milhões de dólares. “É uma ironia que os recursos necessários para enfrentar o problema da fome sejam poucos em comparação com os benefícios de investi-los nesta causa. Cada dólar investido na luta contra a fome pode se multiplicar por cinco e até por mais de vinte vezes em benefícios”, diz o texto. O fim da fome tem um custo de 30 bilhões de dólares por ano, pouco mais de 1/5 do valor comprometido, até agora, para financiar o Fundo Mundial de Luta contra a aids, a tuberculose e a malária.

Esse valor nem chega a 10% do orçamento militar anual dos EUA, que é de 450 bilhões de dólares, por exemplo. A instituição recomenda que os países promovam a agricultura e o crescimento rural, dos quais depende a subsistência da maioria carente.

De Haen ponderou:

“Já se sabe como erradicar a fome e agora é hora de aproveitar para chegar ao objetivo. É uma questão de vontade política e de prioridade, pois o mundo está se tornando cada vez mais rico e produzindo mais comida. O problema é o acesso das pessoas ao trabalho, recursos, terra e dinheiro para comprar comida”.

O texto também relata avanços contra a fome, promovido em mais de 30 países, entre eles:

China, Brasil, Nigéria, Cuba, Tailândia. “Há evidências de que é possível progredir a partir da aplicação de estratégias que ataquem as causas e as conseqüências da pobreza e da fome. A primeira estratégia procura aumentar a disponibilidade de alimentos e a renda dos pobres, através do aumento da produção. A outra inclui programas que dêem às famílias carentes o acesso direto e imediato à alimentação”, diz o texto.

Alguns números sobre o flagelo
no mundo em 2002

• 814,6 milhões de famintos nos países em desenvolvimento (como China, Bolívia, Angola...)
• 28,3 milhões de famintos em países de transição (como Rússia, Croácia, Ucrânia...)
• 53 milhões de famintos na América Latina
• 9 milhões da famintos nos países industrializados (como Alemanha, Estados Unidos, Austrália)
• 15,6 milhões de famintos no Brasil
• 5 milhões de crianças morrem de FOME por ano: uma morte a cada 5 segundos
• De US$ 500 milhões a US$ 1 trilhão é o custo anual da fome no mundo, incluindo perda de produtividade, renda, investimento, consumo.
• Com US$ 25 milhões por ano, seria possível reduzir drasticamente a desnutrição nos 15 mais famintos países da África e da América Latina e salvar da fome pelo menos 900 mil crianças até 2015.

FOME NO BRASIL
Período Número de pessoas famintas
• 1990-1992 18,5 milhões
• 1995-1997 16,5 milhões
• 2000-2002 15,6 milhões

Fonte: FAO (Food and Agriculture Organization)

Visite as outras páginas

[P.I.M.E.] [MUNDO e MISSÃO] [MISSÃO JOVEM] [P.I.M.E. - Missio] [Noticias] [Seminários] [Animação] [Biblioteca] [Links]

Voltar