Jornal - "MISSÃO JOVEM"

Religiões - Budismo

i amigos, eu sou o Michi Bukkyô. Vivo na Tailândia com minha família. O amigo Ninho, em uma de suas missões, já fez uma visita à minha casa. Nós lhe queremos muito bem por ele respeitar a todos como uma grande família.

Nós, budistas, acreditamos que Buda, o fundador de nossa religião, nos indicou o caminho a seguir para sermos felizes nesta vida e nas vidas sucessivas.

Para que vocês conheçam um pouco o Budismo, vou apresentar-lhes alguns elementos importantes para nós.

O NIRVANA


Sineta de prece tibetana

A palavra Nirvana significa o cessar do sofrimento: a etapa final da via budista. Tendo posto fim ao ciclo nascimento/morte/reencarnação, o fiel budista adquiriu todas as qualidades que lhe permitem entrar no Nirvana, aquilo que vocês, cristãos, chamam de Paraíso. Para os budistas, a morte não é o fim da existência, mas uma etapa. Cada um de nós pode passar por muitas vidas e muitas mortes.

A VIA SAGRADA E AS OITO RAMIFICAÇÕES

A roda com seus oito raios, que vocês estão vendo ao lado, é o símbolo do budismo, pois representa a via sagrada dos oito ensinamentos que Buda deixou para seus seguidores em seu primeiro discurso, chamado “Sermão de Benares”.


Prostração diante de Buda

Vejamos quais são:

1. Cultivar pensamentos dirigidos
2. Não fazer mal aos outros.
3. Pensar nos outros.
4. Compreender os ensinamentos de Buda sobre o sofrimento.
5. Saber repousar a própria mente.
6. Dizer a verdade.
7. Ser consciente da existência dos outros.
8. Ser reflexivo.

A HISTÓRIA DE BUDA

Siddhartha Gautama (Buda) viveu cerca de 2500 anos atrás. Sendo filho de um rei muito rico, ele passou sua juventude sem muitas preocupações.

Aos vinte anos, já casado e com um filhinho, Siddhartha deixou tudo e todos e foi à procura das respostas para o sofrimento que há no mundo. Não parece uma loucura, amiguinhos? No entanto, ele estava movido por um desejo muito forte de ajudar as pessoas.

Após alguns anos de ascese (exercícios espirituais que tornam uma pessoa mais virtuosa), ele teve uma iluminação que lhe revelou o conhecimento que ele precisava. A partir disso, por quarenta anos, foi ensinando sua doutrina.

As quatro realidades da vida de uma pessoa, que Siddhartha Gautama descobriu em sua procura, são: a doença, a velhice, a morte e a busca espiritual.

A MEDITAÇÃO


Esmolas dadas aos monges

Para os budistas, a meditação é fundamental para alcançar a felicidade no nirvana. Mas, vejam bem amiguinhos, não basta ficar dez minutinhos de olhos fechados, é necessário uma grande meditação que exige anos de treinamento, um esforço que dura a vida inteira.

Há técnicas que ajudam nisso, tais como uma postura correta, concentração numa idéia ou num objeto e recitar palavras sagradas. Alguns budistas olham fixamente o Thanka, uma pintura religiosa circundada de seda.

Existem outros objetos que ajudam na meditação, tais como: a estátua de Buda, um recipiente com água, incenso queimando e emanando seu perfume agradável. Em nossos templos há uma sala reservada à meditação dos fiéis, mas há também centros dedicados à meditação.

A ORAÇÃO

Muitos budistas não rezam, porque não existe um deus ao qual dirigir-se. Buda não se considerou um deus, portanto nós não o adoramos, mas o respeitamos e procuramos seguir sua doutrina.

No Tibet existem moinhos e bandeiras feitos de orações, que tremulam ao vento difundindo no mundo as orações que ali estão escritas.

Nossa maior oração é dedicar atenção especial a todos os seres vivos, homens e animais, e tratá-los com respeito.

O MONGE

Em alguns países budistas, garotos e garotas podem viver a vida de monge por um breve período num monastério sem, no entanto, pronunciar votos permanentes.

Eu estou ansioso para que chegue este dia! Durante a cerimônia de consagração, nossas cabeças serão raspadas e receberemos a roupa de monge, geralmente de cor alaranjada.

Nossos pais ficarão orgulhosos e nos tratarão com muito respeito. Contudo, quando deixamos o monastério, podemos retornar à vida normal, casarmos e, na velhice, reunirmos a Sangha, comunidade monástica.

OS LUGARES SAGRADOS

Nossos templos guardam a tumba ou as relíquias dos grandes mestres budistas, como também estátuas e pinturas que representam Buda, para ajudar os fiéis em suas meditações.


Mosteiro

Buda é geralmente representado sentado, com as pernas em forma de borboletas e com as mãos em posições diversas, mas todas com significados precisos.

Em casa também temos um altar com uma estátua de Buda. Todos os dias colocamos diante dela as nossas ofertas.

Fiquei sabendo que muitas famílias no Brasil também têm a imagem de Buda e que depositam moedas aos seus pés para que lhes dê sorte para ganharem mais dinheiro! Meus amiguinhos, isso não funciona, pois nós damos nossas ofertas como um sinal de devoção e fé, e não como superstição.

O DALAI LAMA

Este monge tibetano é um dos grandes mestres budistas da atualidade. Chefe espiritual e político do Tibet, teve que fugir quando a China comunista ocupou sua terra. O Dalai Lama é uma pessoa muito respeitada, inclusive pelo saudoso papa João Paulo II, que se encontrou com ele várias vezes.

SOMOS UMA GRANDE FAMÍLIA

O Ninho nos disse que somos uma grande família. Que bom! Eu posso dizer para vocês que nós budistas nos sentimos muito felizes por termos como irmãos vocês cristãos. Amiguinhos, saúdo a todos vocês e continuemos respeitando as diferenças que há entre nós para vivermos em paz e construirmos um mundo melhor, onde não haja mais discórdias, racismos e desentendimento entre as religiões.

Visite as outras páginas

[P.I.M.E.] [MUNDO e MISSÃO] [MISSÃO JOVEM] [P.I.M.E. - Missio] [Noticias] [Seminários] [Animação] [Biblioteca] [Links]

Voltar